fbpx

Quando as habilidades se tornam mais importantes que o diploma

Durante muitas décadas, a formação acadêmica era mais importante para a contratação de um empregado em muitos segmentos de mercado. Mas isso mudou.

Um exemplo recente é o da empresa Tesla, cujo cofundador afirmou que o mais importante não é o grau acadêmico que a pessoa possui, mas o que ela é capaz de realizar no mundo real.

Segundo matéria da Revista Exame, na seleção de pessoas para a área de Inteligência Artificial, para se candidatar é suficiente o nome, endereço eletrônico (e-mail) e informar “qual trabalho excepcional você fez?”

Para quem não conhece a empresa, a Tesla atua no mercado de carros elétricos e vale mais do que a GM e a Volskwagen juntas, segundo matéria do Jornal Estadão. A Infomoney destacou sua recente alta no valor das ações em pouquíssimo dias, em razão de uma série de várias  razões. Se quiser saber mais sobre a Tesla, leia a matéria da Tecmundo clicando AQUI.

Outro ponto importante pelo cofundador da Tesla é a afirmação que o que importa é comprovar a capacidade de realização efetiva da atividade, como o teste de codificação, na área da Inteligência Artificial.

Assim, vemos que no mercado de trabalho, embora importante, o diploma não é suficiente; no mundo real, é preciso ser capaz de fazer algo bem feito.

Especialmente nas empresas inovadoras, desenvolver o que é chamado de CHA (Competências, Habilidades e Atitudes) adequadas a cada função é fundamental. Quer saber mais sobre o CHA e se conectar com o futuro? Clique AQUI e leia o artigo sobre o tema em nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *