fbpx

Novos hábitos para novos tempos

É preciso sempre escolher novos caminhos

Nos períodos de crise identificamos a necessidade de mudar, sendo necessárias mudanças na Educação e nas questões que envolvem a Economia. São novos hábitos em um novo mundo, no presente e para o futuro.

A  necessidade de mudar

Nada está definido, sempre foi assim segundo a história da humanidade. Costumes, comportamentos, regime econômico, cultura, entre outros, são coisas orgânicas, que se modificam de acordo com os acontecimentos de cada época. Algumas catástrofes causaram grandes mudanças sociais, ou ao menos as iniciaram. Vivemos atualmente “novos tempos”, obrigados a mudar hábitos por uma questão de conservação da vida, adaptações precisam ser feitas imediatamente, enquanto se experimenta é avaliado o melhor jeito de fazer o novo.

Muitas vezes são as mudanças que movimentam as melhorias sociais; geralmente as inovações facilitam a vida das pessoas, ou assim deveria ser em sua maioria, a busca por novos modos de fazer ou viver algo, a tão sonhada transformação da sociedade de forma consciente. No entanto, nada é tão simples quanto parece, e abandonar velhos hábitos incomoda no nível máximo, mudar o que está inserido no comportamento do dia a dia é um exercício diário.

Além de necessariamente comprometer o deslocamento físico, temos que lidar com as questões mentais, assistir aos noticiários e se dar conta de que o perigo esta a cada dia mais próximo,  a qualquer momento nossa família pode ser afetada, isto é assustador. É preciso se cuidar de todos os lados, lavar bem as mãos, usar máscara, evitar a todo custo aglomerações, e por fim não entrar em pânico. Se cuidar a ponto de saber que pode ser que possua reais sintomas e pode ser que não.

Apesar da Covid 19 ser mais ameaçadora aos idosos, jovens e crianças também sofrem as consequências da odiada pandemia, e não poderia ser diferente, um vírus tão poderoso e avassalador, ainda sem tratamento certo ou vacina mexe em toda estrutura social, esta tudo “aguardando” indicações de novos passos, mas no momento o medo permanece.

A mudança necessária na educação

As crianças estão em casa sem aulas convencionais, e sem a rotineira ida às escolas tudo fica mais difícil, não apenas pela falta de regras com alimentação, aprendizado ou socialização presente na escola, mas também pela representatividade que existe no campus escolar.  A escola e os espaços de aprendizagens são campos de pesquisas, esperança de vida e crescimento pessoal e profissional de estudantes, é a partir do conhecimento que nos projetamos para a vida. Isso sem falar na representatividade do educador diante do aluno. Pensar neste estimulo longe daquilo que já conhecemos está entre os desafios atuais.  

Momento este que nos leva à reflexão sobre a valorização do papel da educação na vida das pessoas, e como isso fundamenta os valores de uma sociedade. Reconhecer e cuidar da educação como algo valioso é fundamental para que as pessoas percebam a importância que ela tem na vida de cada um, ainda que isso não visto pela maioria das pessoas, a educação é uma janela para o mundo.

A rotina de adultos e idosos foi modificada não apenas pela presença dos filhos em casa, e consciência da necessidade do aprendizado e tudo o que o espaço físico escolar significa, mas também porque não apenas o filho precisou se adaptar ao ensino a distância e suas dificuldades inovadoras, os adultos também precisaram aprender a trabalhar desta maneira.

As mudanças na Economia

A economia está entre as grandes preocupações do momento. O que será de nós?

O comércio fechado ou parcialmente aberto gera um efeito dominó maléfico de perda da estabilidade financeira, os meios de produção que nada precisam fabricar sem que as pessoas comprem. Passam a demitir os seus colaboradores, assim, pessoas que trabalham direta ou indiretamente com estes meios estão preocupadas, apavoradas ou já sem emprego.

Além disso, é válido pensar na raiz do consumismo, e como alguns objetos são realmente inúteis e servem apenas para alimentar o capitalismo e sua fome de permanecer mais importante que qualquer outra coisa.

Novos modos de trabalhar e meios de sobreviver passaram a fazer parte da rotina dos pensamentos das pessoas, a insegurança causa incômodo geral, e insônia coletiva! Olhar para os lados e notar que outras pessoas em outros países se encontram em pior ou igual situação não ajuda muito, é a constatação de que será nós por nós, não tem para onde fugir.

Novos hábitos em um novo mundo

Os novos hábitos estão relacionados a tudo, o mundo atualmente é visto por um novo ponto de vista, a importância da saúde, de cuidar dos seus, valorizar a vida e identificar o que realmente importa.

O “aprender” de várias formas ganha um novo fôlego, e o reaprender  formas de sobreviver e continuar a seguir.

Pode ser que se passem alguns meses e tudo volte a ser como antes, o antigo “normal”. Mas também pode ser que as pessoas fiquem mais sensíveis, e que as suas perdas as façam abrir os olhos para a compaixão pelo mundo e por todos que dela precisam. Também pode ser que aconteçam sensações que ainda não identificamos com palavras e expressões, ou que o modelo econômico valorize outras coisas além do acumulo de capital, podem ser muitas coisas…

O presente e o futuro

Para o momento podemos apenas cuidar uns dos outros, refletir, se manter calmo e lúcido.

Fazer leituras, conversar com quem é possível e de forma segura.  

Viver o hoje.

Isso terá fim, e que seja possível tornar melhor o mundo daqueles que permanecerem após a pandemia de 2020.

Grazy Nazario.

Quer saber mais sobre o poder feminino? Visite o blog da autora clicando AQUI.

Quer aprender mais sobre diversos assuntos pessoais e profissionais? Leia as matérias do blog do Liceu CDI clicando AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *